covid19

Alerta Covid19

A A.N.D.A.R. aconselha aos seus associados e amigos, dentro das vossas possibilidades de terem stock de medicamentos suficiente para dois meses, com o principal objectivo de não terem de sair de casa, estando assim mais protegidos, perante esta situação.

Estejam atentos a alguns aspectos e necessidades, tais como: ter água e comida em casa, ter medicação que chegue, ter a possibilidade de trabalhar a partir de casa.

Vivemos momentos de grande preocupação e alarme social. Numa situação de epidemia e de ameaça à saúde pública como é o caso do surto de COVID-19, necessitamos de manter os cidadãos informados, mas, também, de reforçar o seu papel de agentes activos na implementação das medidas decididas pelas autoridades. A cidadania reforça-se também nestas situações.

Informação da SPR Sobre Coronavirus

Informação da Sociedade Portuguesa de Reumatologia sobre a infeção por Coronavirus (COVID19) nos doentes reumáticos

Tendo em conta o panorama actual de pandemia COVID 19, levantam-se questões e preocupações por parte dos doentes portadores de doenças reumáticas, que vimos por este meio esclarecer.
A infeção COVID 19 pode ser assintomática ou, na maioria dos casos, apresentar-se com sintomas ligeiros. Os sintomas mais frequentes são febre, tosse, fadiga, dores musculares e, por vezes, vómitos e diarreia. Nos casos mais graves, e menos frequentes, pode complicar-se com pneumonia.
As complicações mais graves ocorrem, geralmente, em pessoas mais suscetíveis: idosos, portadores de doenças crónicas como doenças cardíacas, hipertensão arterial, diabetes, bronquite crónica, tabagismo. As doenças reumáticas só por si, não foram incluídas neste grupo, mas alguns destes doentes poderão ter um risco acrescido de complicações.
Na ausência de evidência de qualidade sobre as medidas a tomar e, não dispondo para já, de tratamento ou vacina eficazes, pretendemos com este documento, alertar e esclarecer os doentes, deixando algumas sugestões:

– Os pacientes com doenças reumáticas sistémicas, que estejam a tomar medicamentos imunossupressores, não devem suspender para já os seus tratamentos, nem reduzir a dose dos mesmos.

– No caso de infeção COVID 19 confirmada, a medicação deverá ser ajustada de acordo com as indicações do seu reumatologista.

– O risco de cada doente deve ser avaliado de forma individualizada pelo seu reumatologista assistente, pelo que em caso de dúvida deve contactar o seu médico.

– Não tome medicamentos novos sem contactar o seu reumatologista, mesmo que ouça dizer que o protegem do vírus.

– Deve evitar deslocações ao hospital/estabelecimento de saúde, dando preferência a consultas não presenciais, podendo estas ser efectuadas à distância, de acordo com o indicado pelos serviços de saúde.

– Se necessitar de levantar medicação na farmácia hospitalar, confirme localmente se o pode fazer através de outra pessoa ou por outro meio, pois estão a ser implementadas medidas nesse sentido (receitas desmaterializadas, envio por correio, etc).

– Se tiver sintomas sugestivos de infeção COVID 19, não se dirija ao centro de saúde nem ao hospital. Ligue para a linha de saúde 24 ou para o seu médico assistente e siga as instruções por eles indicadas.

– Todos os pacientes devem seguir as normas gerais mais recentes indicadas pela Direção Geral da Saúde

imprimir informação

Notificação de suspeita de reações adversas a medicamentos em doentes com COVID-19

O Infarmed, associou-se a uma ação de informação promovida pela Agência Europeia do Medicamento (EMA na sigla inglesa), tendo sido produzida uma infografia, em anexo, dirigida aos cidadãos, com o objetivo de alertar os doentes com doença COVID-19 (confirmada ou suspeita) e os profissionais que os acompanham, para a importância de notificar qualquer suspeita de reação adversa a medicamentos (RAM), estejam estes a ser ministrados no âmbito da COVID-19 ou sejam de toma habitual.

Conforme se pode ler na Circular Informativa “Notificação de suspeita de reações adversas a medicamentos em doentes com COVID-19”, de 28 de abril, publicada no site do Infarmed:  “o conhecimento sobre o novo vírus ainda está incompleto, desconhecendo-se possíveis interações medicamentosas que possam estar a ocorrer com a terapêutica destes doentes. Através da notificação de qualquer suspeita de RAM relacionadas com os medicamentos usados no contexto da COVID-19, doentes e profissionais de saúde podem ajudar a reunir evidências valiosas para a tomada de decisões informadas sobre a utilização segura e eficaz dos medicamentos à medida que a pandemia evolui.”

Ver Infografia

As dicas de um médico de Wuhan para a prevenção do novo coronavírus

“101 dicas baseadas na ciência que podem salvar a sua vida”. A Skyhorse Publishing publicou um manual de prevenção para a Covid-19 escrito por um médico chefe de Wuhan. Estes são os conselhos. Ver aqui

Fundação Champalimaud lidera consórcio internacional de investigação

Objetivo do consórcio internacional de investigação clínica liderado pela Fundação Champalimaud é compreender melhor a natureza da Covid-19, de forma a desenvolver um tratamento. Ver aqui

Partilhe esta e outras informações com os seu familiares e amigos, nas redes sociais para isso utilize os links da rede social onde deseja fazer a sua partilha, situados na lateral esquerda do site. A A.N.D.A.R. agradece.